VIVO: avanço no PPR 2020 e precarização no Acordo Coletivo 2020/2022

Menos R$ 300 reais: quais os impactos da redução do auxílio emergencial?
“Injustiça histórica contra aposentados e trabalhadores”, diz nota das centrais sindicais

Na última quarta-feira, 9 de setembro, SINTETEL realizou a terceira reunião de negociações com a VIVO para dar prosseguimento às negociações do Acordo Coletivo 2020/2022 e do PPR.


As negociações com a VIVO estão difíceis e, de certa forma, complexas devido a intransigência da empresa em apresentar uma proposta digna e condizente com a sua magnitude.

A empresa também despreza o comprometimento dos trabalhadores, especialmente nesta fase de pandemia, que se dedicaram de corpo e alma para torná-la uma potência mundial.

PPR 2020

Sobre o PPR podemos afirmar que tivemos um avanço, pois a VIVO insistia em não pagar antecipação e após muitas cobranças, o SINTETEL conseguiu arrancar o pagamento da antecipação, nos mesmos moldes de 2019. Falta definir a data de pagamento. Cobramos agilidade.

ACORDO COLETIVO 2020/2022

Conseguimos barrar algumas maldades que a empresa havia proposto na reunião anterior, como retirada do pagamento do 13º salário em fevereiro, ampliação do banco de horas para 18 meses e realização de homologações sem participação direta do Sindicato.

Mas na mesa de negociação a VIVO continua irredutível, alegando que não tem condições de fazer reajuste em 2020 e apresenta uma péssima proposta, com precarizações nas cláusulas de plano de saúde e locação de veículos.

Segue proposta da VIVO para 2020 e 2021, que foi prontamente RECUSADA pela Comissão Nacional de negociações:

PROPOSTA ACORDO COLETIVO 2020

• Salários e benefícios – ZERO de reajuste em 2020.
Pagamento de um abono indenizatório equivalente a 35% do salário nominal garantindo o mínimo de R$ 1.000 e máximo de R$ 2.500.
Crédito somente em fevereiro/2021.
• Plano Médico – mudar para a Operadora CNU (Central Nacional Unimed);
• Locação de veículo – retirar o benefício;
• Teletrabalho/desconexão – criação de grupo de trabalho em até 120 dias para discussão dos temas;
• Manutenção das demais cláusulas.

PROPOSTA PARA O ACORDO COLETIVO 2021

• Salários e benefícios – reajuste de 85% do INPC a partir de setembro/2021

PROPOSTA RECUSADA

Proposta recusada porque temos certeza que a maior empresa de Telecom do Brasil, tem condições de avançar na questão econômica, e ainda discutir e resolver temas importantes como:
– Ajuda de custo para trabalhador em teletrabalho;
– Fornecer acesso gratuito a Internet e ao combo de serviços para todos trabalhadores;
– Disponibilizar testes de sorologia para trabalhadores que atendem os clientes presencialmente;
– Inserir garantias LGBTQI+;
– Regularizar o pagamento de periculosidade.
Além dessas questões e diante desse cenário de incertezas, o SINTETEL reivindicou ainda GARANTIA DE EMPREGO por 2 anos, prazo de validade do Acordo Coletivo.
A VIVO informou que vai analisar os pleitos internamente e agendou nova reunião para o dia 21/09/20.

Fonte: Sintetel

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sindicalize-se
Falar pelo WhatsApp
Enviar via WhatsApp