Sindicato reforça campanha de filiação e da importância da contribuição sindical

Sindicato vai fiscalizar pagamento do 13º salário dos trabalhadores
Diretoria distribui Boletim para trabalhadores de Japeri

Com o fim da obrigatoriedade do imposto sindical e da sanção da Lei da Reforma Trabalhista, especialistas acreditam que haverá a extinção das entidades com pouca representatividade e o aumento do número de filiados será fundamental para a manutenção dos sindicatos.

Segundo o presidente do Sindicato dos Químicos de Nova Iguaçu (SindiQuímica-NI), Sandoval Marques, o objetivo do Governo é claro: enfraquecer as entidades sindicais. “O impacto econômico já está sendo sentido e, dependendo do setor, com efeitos drásticos. O trabalhador precisa saber que o sindicato é a voz dele. Com o sindicato enfraquecido pela queda da receita, consequentemente, as atividades em defesa da categoria tendem a acabar. Com o sindicato fraco, o patrão faz o que ele quer. Até porque o empresário não é obrigado a dar reajuste e rever os benefícios. Tudo isso ocorre porque o sindicato realiza assembleia, fiscaliza as empresas, enfim, está sempre em ação seja para defender quanto para ampliar os direitos da categoria”, afirmou.

A extinção do imposto sindical trazida pela reforma trabalhista pode levar à demissão de até 100 mil sindicalistas de acordo com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), ligado à Central Única dos Trabalhadores (CUT). A estrutura sindical brasileira possui cerca de 300 mil sindicalistas, sendo 115 mil funcionários diretos e 185 mil terceirizados.

Ainda de acordo com Sandoval, neste momento difícil, as campanhas para ampliar o número de dependentes são extremamente importantes. “Precisamos cada vez mais conquistar novos filiados e manter os associados atuais. Por isso investimos em atendimento jurídico e odontológico gratuitos, exame de vista de graça, benefícios e parcerias para garantir desconto nos mais serviços, cursos de capacitação, entre tantas outras ações. É importante que a categoria conheça nossas atividades e saiba que o fim da obrigatoriedade da contribuição sindical existe, mas o(a) trabalhador(a) pode optar por fazer a contribuição. Basta que ele(a) manifeste a sua vontade para o empregador. Autorizada expressamente, a cobrança será realizada na folha de pagamento”, observou.

O SindiQuímica-NI fez um cálculo simples para explicar o valor desta contribuição. Pensamos em um trabalhador que receba R$1.100,00. Se dividir por 30 (dias do mês) = R$36,67. Deste valor, retira-se 60%. O total devido para o Sindicato fica em R$22,00. Este valor é dividido por 12 meses (um ano). O resultado é R$1,83 por mês de cada trabalhador. Com este valor que o sindicato tem que manter todas as despesas.

“Seguimos tentando reavivar o pagamento da contribuição, lutando diariamente pela nossa categoria e em defesa dos trabalhadores. Mas estamos pedindo que nos apoiem, confiem em nosso trabalho e filiem-se para fortalecer seu sindicato”, concluiu o presidente do SindiQuímica-NI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sindicalize-se
Falar pelo WhatsApp
Enviar via WhatsApp