Rio aposta em tomografias para detectar Covid-19; Crivella diz que serão 100 exames por dia

Nascidos em março e abril podem sacar auxílio de R$ 600 nesta terça
Demissão ‘por força maior’ impede cidadão de sacar FGTS e ter seguro-desemprego

Por G1 Rio

“Esses tomógrafos são muito importantes. Um detalhe: estes tomógrafos, com 128 canais, fazem uma tomografia em um minuto. Nós podemos fazer mais de 100 tomografias por dia, o que é muito importante, pois é o melhor teste. Os demais testes, da mucosa nasal, da garganta ou do sangue, têm erros. Tomografia não tem erro e, se o paciente for tratado precocemente, resolvemos o assunto”, declarou Crivella.

O prefeito comemorou a chegada dos equipamentos que, segundo ele, foram trazidos em navios. A previsão do município é que cinco tomógrafos sejam instalados, a princípio, em três bairros e duas comunidades. São eles:

  • Del Castilho, Zona Norte
  • Bangu, Zona Oeste
  • Santa Cruz, Zona Oeste
  • Rocinha, Zona Sul
  • Cidade de Deus, Zona Oeste

“Os tomógrafos serão fundamentais para que os nossos médicos possam diagnosticar a doença precocemente e fazer o tratamento. Se uma doença de pneumonia causada por coronavírus é diagnosticada no início, temos todas as chances de evitar que aquela pessoa contamine outras e também podemos tratá-la com sucesso”, afirmou o prefeito.

Em Del Castilho, a instalação do tomógrafo dependerá da conclusão das obras no Posto de Assistência Médica do bairro. O prefeito disse que o equipamento será instalado na unidade de saúde nesta terça-feira (28). Em Santa Cruz, houve atraso e não deve ser instalado na terça, mas sim na quarta-feira (29).

Na Rocinha e na Cidade de Deus, Crivella afirmou terem começado as obras, mas não precisou quando os tomógrafos serão instalados.

“Na Rocinha, vai ficar no estacionamento da igreja em frente à estação de metrô. E na Cidade de Deus, vai ficar dentro da escola. Na verdade, vamos até abrir uma ligação com a UPA [Unidade de Pronto Atendimento] da Cidade de Deus”, detalhou o prefeito.

A coletiva ocorreu nesta segunda no Palácio da Cidade, sede do governo municipal. Lá, o prefeito anunciou a assinatura de contrato da iluminação pública e investimento de R$ 1,4 bilhão para modernizar da iluminação e conectividade da cidade nos próximos 20 anos.

Leitos no Hospital Ronaldo Gazolla

Crivella também anunciou a finalização de obras e mais leitos no Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, que fica em Acari, na Zona Norte. Segundo ele, a unidade de saúde já tem aproximadamente 100 leitos de unidade de terapia intensiva (UTI).

“O objetivo é termos 183 de adulto e 18 de criança. No final, serão 201, mais 180 de enfermaria. No nosso hospital de campanha, temos 400 leitos de enfermaria e 100 de UTI.”

Hospital Ronaldo Gazolla é a unidade referência para o tratamento contra o coronavírus no Rio de Janeiro — Foto: Jorge Hely/Framephoto/Estadão Conteúdo


Questionado sobre o porquê de não ter inaugurado o hospital de campanha da prefeitura – que está sendo erguido em um dos pavilhões do Riocentro, Crivella explicou que ainda espera a chegada de respiradores para pacientes.

“Não posso abrir o hospital de campanha só com enfermarias pelo seguinte motivo: eu tenho os 400 ventiladores, mas se alguém agravar, eu não tenho respirador. Qual é a fórmula adotada pelos médicos? Se eu tiver 10 respiradores, posso abrir 100 leitos de enfermaria. Então, se eu tiver 40 respiradores, tenho 400 leitos de enfermaria”, detalhou o prefeito.

Reunião com ministro da Saúde

Para resolver o impasse sobre os 40 respiradores, Crivella disse que tentava, desde a manhã desta segunda-feira, uma reunião com o ministro da Saúde, Nelson Teich.

“(…) Estou tentando, desde hoje de manhã, uma reunião com o ministro da Saúde, pois eu comprei 80 da empresa de São Paulo. Primeiro, eles disseram que o governo tinha pego. Depois, disseram que não tinham assinado contrato. O que não justifica, pois tenho sentença judicial que analisou todos os documentos e diz que eles têm que me entregar.”

O prefeito afirmou que o governo federal tem os respiradores e que, por isso, tenta a liberação. Crivella disse que ainda espera outros 60 respiradores, mas que com os 40 já seria possível abrir 400 leitos de enfermaria.

Fonte: https://g1.globo.com/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sindicalize-se
Falar pelo WhatsApp
Enviar via WhatsApp