Quarentena total consegue evitar explosão do coronavírus na Argentina

Governo edita MP para arcar com conta de luz de consumidores de baixa renda
Unicamp usa reagentes nacionais e desenvolve teste de coronavírus mais barato

buenos-aires-quarentena-600x400


Em quarentena total desde 20 de março, a Argentina alcançou feitos notáveis no enfrentamento ao coronavírus, tendo conseguido achatar o crescimento da curva de infectados e mantendo, até agora, o seu sistema de saúde a salvo do colapso. São 1.265 casos confirmados no país, com 40 mortes. As medidas rigorosas do presidente Alberto Fernández, sobretudo o confinamento obrigatório, são apoiadas por médicos argentino.

— Estamos em situação muito melhor do que outros países. Isso é reflexo das medidas drásticas. Tivemos ações rápidas e isso ajudou a achatar a curva de infectados. Se espera que o pico ocorra aqui em meados de maio. No momento, o sistema sanitário opera em sua capacidade normal, sem sobrecarga. Estamos preparados para não colapsarmos o sistema. É a forma para que mais pessoas possam sobreviver — analisa Diego Glasbauer, médico de Buenos Aires que atua na pandemia devido a sua especialização no tratamento de pessoas com incapacidades físicas e mentais, consideradas do grupo de risco.

Saídas de argentinos às ruas somente são permitidas para comprar alimentos, remédios ou sacar dinheiro. O transporte público está ativo apenas para profissionais de atividades consideradas essenciais, como trabalhadores das áreas da saúde e da alimentação.

Forças policiais foram mobilizadas para fiscalizar o cumprimento das normas, que se estendem por todo o território argentino. Nas periferias das grandes cidades, o Exército está distribuindo gêneros alimentares para tentar conter movimentação de pessoas que precisam trabalhar diariamente para reunir o dinheiro da comida.

Fonte: https://www.diariodocentrodomundo.com.br/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sindicalize-se
Falar pelo WhatsApp
Enviar via WhatsApp