Programas inovadores preparam alunos para o mercado de trabalho

‘Caminhada virtual’ lembra Dia Mundial da Atividade Física
Caixa anuncia que 105 mil trabalhadores doméstico têm FGTS

alunosDesde o início do ano letivo, Matheus Nascimento se dedica aos estudos, à esgrima e ao núcleo de economia, em tempo integral. A nova rotina não fazia parte dos planos do aluno da 1ª série do Ensino Médio, até que ele ingressou no Colégio Chico Anysio, inaugurado em dezembro, no Andaraí, Zona Norte do Rio, com uma proposta inovadora: formação profissionalizante através do programa Dupla Escola.

O projeto premiado funciona desde 2012 em mais oito unidades, como o Nave e o Nata. No Colégio Chico Anysio, ele é realizado em parceria com o Ibmec, Instituto Ayrton Senna e Secretaria de Esporte e Lazer. A unidade, que aplica o modelo de ensino integrado criado pelo Estado em 2008, oferece disciplinas como Formação em Negócios. Os jovens também têm aulas de luta olímpica e de esgrima.

“Apesar de a escola ser nova, já nos sentimos bem familiarizados com esse modelo de educação. Fico o dia inteiro no colégio, praticando esporte e me preparando para uma carreira. Quero ser historiador ou trabalhar com artes cênicas, mas sei que posso descobrir uma nova profissão. Aqui, aprendemos temas como “Negociações” integrados com a Matemática” disse Matheus, de 16 anos.

O Dupla Escola na unidade do Andaraí desenvolve valores como a responsabilidade por meio da chamada “autogestão”, quando os alunos podem desenvolver atividades livres uma vez por semana, durante o tempo disponibilizado pela direção. As aulas acontecem em grupo para facilitar a interação e a fixação das matérias passadas pelos professores em classe.

“Os 120 alunos da unidade têm uma oportunidade única. Desenvolvemos o chamado protagonismo juvenil e habilidades cognitivas. O estudante participa das decisões, de como serão as aulas. Tudo fica mais atraente” explicou o professor de Inglês do Chico Anysio, Ismail Dutra.

Estágio que Rende oferece oportunidades

A partir deste mês, 300 estudantes da 2ª série do Ensino Médio com boas notas e bom desempenho nas provas do Saerj (Sistema de Avaliação da Educação do Estado do Rio de Janeiro) podem começar a descobrir suas vocações pelo programa Estágio que Rende.

Com carga horária de quatro horas, bolsa de R$ 400 e auxílios transporte e alimentação, jovens que pensam em cursar a área pedagógica poderão atuar na própria Secretaria de Educação, por exemplo. Na primeira fase, a parceria inclui ainda a Secretaria de Segurança, o Detran, a Imprensa Oficial e o Proderj (Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Rio de Janeiro), que também oferecerão estágios.

Para facilitar o acesso de estudantes às universidades, o Governo do Estado passou a oferecer o projeto de reforço escolar, que já contemplou mais de 230 mil jovens.

Outra ação para preparar mais mão de obra para o mercado foi a reformulação do Educação para Jovens e Adultos (EJA), que foi ampliado para ter a duração de dois anos.

Leia a matéria no Diário Oficial.

Os comentários estão encerrados.

Sindicalize-se
Falar pelo WhatsApp
Enviar via WhatsApp