Portuários realizaram plenária nacional no Rio de Janeiro

Servidores públicos pedem regularização da Convenção 151 da OIT
Firjan obtém liminiar para suspender a expressão “que o fixe a maior” da Lei do Piso salarial do Rio de Janeiro

plenarianacionalAs três federações dos trabalhadores portuários, entre elas a Federação Nacional dos Estivadores, com apoio do Sindicato dos Estivadores do Rio de Janeiro, da Força Sindical RJ e portuários de vários estados, realizaram na última sexta-feira, dia 5 de abril, a plenária nacional dos trabalhadores da orla portuária no Centro do Rio de Janeiro, para analisar o andamento das negociações em torno da MP 595, que abre caminho para a privatização dos portos brasileiros.

IMG_5355A expectativa dos organizadores foi alcançada, pois reuniu mais de 700 sindicalistas e trabalhadores de todo o país, bem como representantes de entidades internacionais, além de parlamentares que abraçaram a causa, como o deputado federal Paulinho, da Força Sindical Nacional, que esteve presente ao evento para avaliar avanços na luta pela manutenção dos empregos dos portuários. Os trabalhadores permanecem em estado de greve e defendem diversas reivindicações que buscam garantir a soberania dos portos brasileiros.

IMG_5433“O indicativo de paralisação que estava previsto para 25 de março foi suspenso, porque o governo federal se comprometeu, por meio de Nota Informativa do Senado Federal, em atender a pauta apresentada pelo conjunto das representações sindicais (federações e centrais sindicais), sinalizando que haverá mudanças na Medida Provisória 595/2012. Mas precisamos saber, de fato, o quanto isso andou e definir novas estratégias de luta, se necessário”, afirmou o presidente do Sindicato dos Estivadores do Rio de Janeiro, Claudir Macedo.

O presidente da Força RJ, sindicalista Francisco Dal Prá, em seu discurso pediu para que os esforços devem ser concentrados para manter a categoria permanentemente em estado de alerta. “Não devemos nos enganar” – ressalta Dal Prá.

Os comentários estão encerrados.

Sindicalize-se
Falar pelo WhatsApp
Enviar via WhatsApp