MPT entra na campanha salarial

Aprova orçamento recorde
Sindicato dos Químicos de Nova Iguaçu deseja um ano repleto de realizações

logo combo
O Ministério Público do Trabalho passou a intervir nas negociações da campanha salarial dos aeroviários e aeronautas. A primeira reunião aconteceu na tarde de ontem (dia 11/12), em Brasília, e o MPT já agendou para 14 de dezembro nova audiência na capital federal, com todos os Sindicatos Laborais da Aviação Civil e o Sindicato Patronal SNEA (Sindicato Nacional das Empresas Aeroviárias). A recusa dos patrões em negociar questões como aumento salarial e cesta básica levou a campanha à estagnação.

O secretário do Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Transportes Aéreos do Rio de Janeiro (SIMARJ), Luiz Braga, informou que a partir da ação dos sindicatos ligados à Força Sindical, o MPT resolveu entrar como mediador para tentar evitar a crise no setor aéreo. Além de reajuste salarial para os aeroviários, outra questão em discussão é a reintegração dos funcionários da Webjet, demitidos depois que a Gol comprou a empresa. Dos 850 demitidos em novembro em todo o país, 350 são do Rio de Janeiro.

O SIMARJ realizou manifestações nos aeroportos Tom Jobim e Santos Dumont durante toda a manhã de 30 de novembro, com apoio da Força Sindical RJ, em protesto contra a proposta patronal que sequer concede reposição salarial à categoria, pedindo, naquela ocasião, intervenção do Ministério Público do Trabalho, já que as rodadas de negociação não avançavam. Os trabalhadores reivindicam 12% de aumento, mas os empresários da aviação propõem 50% do INPC para quem ganha até R$ 3 mil, 25% para quem recebe de R$ 3 mil a R$ 5 mil e 0% para quem ganha acima de R$ 5 mil. “O que eles propõem é absurdo. Zero de aumento não existe. Os trabalhadores não merecem sequer a reposição da inflação? Sem chance”, afirmou o vice-presidente do SIMARJ, José de Andrada Cruz.

Já sobre o impasse em relação aos trabalhadores da Webjet, Luiz Braga disse que está confiante na readmissão dos companheiros, já que o MPT deu parecer favorável à reintegração. O Ministério Público do Trabalho ingressou com Ação Civil Pública no Tribunal Regional do Trabalho – 1ª Região, com propósito de reverter as demissões. A audiência está marcada para o próximo dia 18 de dezembro, às 12h, na 23ª Vara do Trabalho.

“Estamos na luta. Nossa data base é dezembro e não vamos admitir tanta truculência. Se não houver contraproposta, entraremos em estado de greve”, ressaltou Braga.

Fonte: Assessoria de Imprensa Força Sindical RJ,
com colaboração de Marco Lago
Secretaria Geral da Força Sindical/RJ)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sindicalize-se
Falar pelo WhatsApp
Enviar via WhatsApp