Lideranças e dirigentes da CNTQ participaram do 7º Congresso da Força Sindical

Renúncia ao cargo de cipeiro leva a perda da estabilidade
Deputados vão realizar conferências regionais sobre produção de fertilizantes

CONGRESSO3Lideranças e dirigentes da CNTQ estiveram presentes e participaram do 7º Congresso da Força Sindical, em Praia Grande – SP. O encontro durou 3 dias e aprovou um estatuto para entidade, além de eleger sua nova diretora, reconduzindo o companheiro Paulinho à presidência da Força Sindical.

Membros da diretoria da CNTQ foram eleitos para cargos de destaque na direção da central, com Antônio Silvan Oliveira, presidente da CNTQ, sendo eleito para vice-presidência da Força Sindical, Sérgio Luiz Leite, presidente da FEQUIMFAR foi reeleito para o cargo de 1º secretario, Herbert Passos Filho, presidente do STI Baixada Santista, será secretário do meio ambiente, Edson Dias Bicalho, secretário geral da FEQUIMFAR e presidente do STI Bauru, assumirá ao cargo de adjunto da secretaria de relações internacionais, Maria Auxiliadora dos Santos, presidente do STI Instrumentos Musicais e Brinquedos, foi reconduzida à secretaria de políticas para mulheres, Carlos Luis Cassiano, presidente da Federação dos Químicos de MG, será secretário adjunto de formação sindical, Danilo Pereira da Silva, presidente da Força Sindical SP, é membro nato da diretoria executiva, Luciano Martins Lourenço, diretor do STI Baixada Santista, será membro da secretaria de relações sindicais, Eliana Aparecida Cardoso dos Santos , diretora do STI Guarulhos, será conduzida ao cargo de secretaria de políticas para portadores de deficiência, João Scaboli, responsável pelo departamento de saúde do trabalhador da FEQUIMFAR, ocupará o cargo de adjunto da secretaria de saúde e segurança.

Na ocasião, Silvan agradeceu o apoio e a participação dos delegados dos segmentos químicos, plástico, farmacêutico, etanol, instrumentos musicais e brinquedos de todo o país, pela expressiva representatividade e qualidade nos debates ao longo do Congresso.

Mulheres na direção da Força Sindical

Pela primeira vez na história, a diretoria da entidade será composta com uma porcentagem de 30% de mulheres. “Essa é uma conquista muito importante e é fruto da luta de todas as companheiras”, comemorou Maria Auxiliadora, reconduzida ao cargo de secretária de políticas para mulheres.

Serginho disse que, desde o início, os Químicos da Força apoiaram significativamente que a composição da Chapa da direção da central tivesse 30% de cargos assumidos por mulheres.

Foram aprovados também a inclusão de 10% dos jovens na direção da Central e a criação da Secretaria Nacional dos Empregados(as) Domésticos(as) da Força Sindical, que será conduzida pela sindicalista Eliane Gomes, de São Paulo.

Dia Nacional de Paralisações

Os 3.500 delegados presentes aprovaram também realização do Dia Nacional de Paralisações, em 30 de agosto, caso o governo não aceite as reivindicações dos trabalhadores.

Antes, no dia 6 de agosto, as centrais sindicais farão manifestações diante das federações e confederações patronais contra o PL 4330, que amplia a terceirização. Os congressistas votaram pela não regulamentação da terceirização.

Bandeiras de luta

Outros pontos aprovados foram a defesa de 10% do (PIB) Produto Interno Bruto para a Educação e 10% do PIB para a Saúde; a permissão para a entrada de médicos estrangeiros no País para trabalhar nas periferias das regiões metropolitanas e no interior do Brasil e, fim da contribuição compulsória dos aposentados.

Os comentários estão encerrados.

Sindicalize-se
Falar pelo WhatsApp
Enviar via WhatsApp