Grupo planeja ampliar negócios do setor químico

SindiQuímica alerta: vacinação de sarampo e pólio foi prorrogada
Centrais sindicais divulgam nota de repúdio a Bolsonaro

Depois de quase três anos de trabalhos e conversas, o governo federal criou o Grupo de Trabalho para a Diversificação da Indústria Química Brasileira (Gediq), que nos próximos seis meses vai trabalhar para identificar e elaborar propostas que devem resultar em novos investimentos no setor. Resultado de um pleito da Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim), o grupo definirá nos próximos encontros os segmentos do setor que serão objeto de proposições.

A criação do Gediq foi estabelecida pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (Mdic) por meio da portaria 1.606, de 20 de setembro. Conforme o documento, o grupo será coordenado pela secretaria-executiva da pasta e terá representantes ainda da Secretaria de Desenvolvimento e Competitividade Industrial, Secretaria de Comércio Exterior, Secretaria de Inovação e Novos Negócios e Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), com possibilidade de convite a outros órgãos públicos e entidades.

Da primeira reunião – os encontros acontecerão de 15 em 15 dias -, participam também a Abiquim e a Confederação Nacional da Indústria (CNI). O relatório final do Gediq deve ser entregue em meados de março e expectativa é que resulte na implementação de políticas necessárias para a atração de novos investimentos no setor, represados por gargalos logísticos, pelo custo da matéria-prima no país ou outros fatores.

Para o presidente-executivo da Abiquim, Fernando Figueiredo, a constituição do grupo representa uma possibilidade concreta de começar a transformar em realidade as alternativas apontadas em um estudo de 2014 da Bain & Company e Gas Energy para o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) sobre o potencial de diversificação do setor.

“Essa iniciativa pode ativar investimentos no setor nos próximos dois ou três anos”, diz Figueiredo. No estudo original, foram identificados 66 segmentos na indústria química e 21 segmentos foram escolhidos como foco primário, que juntos ofereciam oportunidades de investimento de US$ 33 bilhões a US$ 47 bilhões entre 2015 e 2030. Desde que se iniciaram as conversas com o governo, diz Figueiredo, a Abiquim trabalhou para reduzir o espectro de segmentos a pedido do próprio governo.

Na avaliação do executivo, a troca de governo que vai ocorrer no meio dos trabalhos do Gediq não deve influenciar o resultado final. “O Mdic tem pensado muito no longo prazo. O que fizer sentido, vai ser levado adiante”, observou.

Fonte: Por Stella Fontes (De São Paulo)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sindicalize-se
Falar pelo WhatsApp
Enviar via WhatsApp