Governo deve pedir suspensão de prazos de MPs que vão perder validade

Sindicatos de todo o mundo pedem ação do Estado contra a crise e soluções negociadas
Dia Mundial da Água: bilhões não têm acesso à água e sabão
Plenario-Camara-Recesso-PlenarioVazio-Deputados-15Jul2019
Cadeiras vazias no plenário da Câmara: desaceleração do Legislativo por conta do coronavírus pode fazer com que MPs percam a validade
Argumento é estado de calamidade
Pedido será apresentado ao STF

 

O Palácio do Planalto prepara uma ação para esta 2ª feira (23.mar.2020) na qual vai requerer a suspensão dos prazos de tramitação de medidas provisórias que possam perder a validade neste mês e nos seguintes, enquanto dura o estado de calamidade no Brasil.

A ideia é que, dessa forma, a segurança jurídica do país seja mantida. Há 9 MPs que podem perder a validade se não forem votadas agora ou em abril de 2020.

Eis a lista:

Uma medida provisória é uma lei que entra em vigor imediatamente após sua publicação no Diário Oficial da União, por iniciativa do Poder Executivo.

O tempo de tramitação total de uma MP –na Câmara e no Senado – não pode exceder 120 dias. Nesse período, o Congresso pode analisar, cortar trechos e adicionar outros. Em seguida, envia para sanção presidencial e a medida se transforma em lei permanente.

Mas caso a MP não seja aprovada nos 120 dias, o seu efeito torna-se nulo. Isso causa uma grande confusão, pois atos jurídicos perfeitos que foram publicados podem depois se transformar em ações no Poder Judiciário.

O Planalto provocará o Supremo Tribunal Federal por meio de uma ADPF (Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental). A Advocacia Geral da União, por meio do ministro André Mendonça, concluiu que esse será o instrumento mais apropriado.

Fonte: https://www.poder360.com.br/

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sindicalize-se
Falar pelo WhatsApp
Enviar via WhatsApp