Funcionários dos Correios iniciam protestos pela campanha salarial

Centrais sindicais vão realizar manifestações entre os dias 6 e 30 de agosto
Pular café da manhã aumenta risco de infarto nos homens

correiosSão Paulo – Cerca de 300 funcionários da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) fizeram hoje (19) protesto em frente ao Centro de Distribuição (CDD) dos Correios de Jaguaré, na zona oeste da capital paulista. O ato foi o primeiro da campanha salarial da categoria, que tem data-base em 1º de agosto. A pauta inclui, entre outros pontos, reajuste de 15% mais a inflação e participação nos lucros. As entidades sindicais entregam a pauta com as reivindicações no próximo dia 31.

Segundo o diretor da Federação Nacional dos Trabalhadores de Empresas em Correios, Telégrafos e Similares (Fentect) Emerson Vasconcelos da Silva, os trabalhadores estão investindo em um diálogo sério para a abertura das negociações com a empresa. “A organização sabe como e difícil negociar, nos últimos anos os nossos acordos foram conciliados no Tribunal Superior do Trabalho (TST). Estamos preparados para o que for necessário, mas queremos uma negociação séria por parte do Correios.”

Entre as reivindicações, os trabalhadores querem discutir um plano piloto para horário de entrega de encomendas somente no período da manhã e a manutenção e melhorias no plano de saúde. “A empresa está propondo mudanças que nos prejudicam muito, como a retirada de dependentes do convênio médico e uma nova taxa para pagamento”, afirma o diretor.

A presidente do Sindicato dos Trabalhadores dos Correios no Acre, Suzy da Costa, considerou o ato realizado em São Paulo “fundamental para unificar o movimento”. E observou que o salário dos trabalhadores da ECT é um dos mais baixos das empresas públicas federais.

Bancários

Começou hoje e vai até domingo (21), em São Paulo, a conferência nacional dos bancários,que definirá a pauta de reivindicações do setor. A categoria tem data-base em 1º de setembro.

Com informações da Agência Brasil

Os comentários estão encerrados.

Sindicalize-se
Falar pelo WhatsApp
Enviar via WhatsApp