Frente de Serviços discute projeto que acaba com a multa rescisória do FGTS

Alterações na Lei do PLR não devem reduzir autuações
Sindicato é sede da posse dos membros da Federação dos Trabalhadores do Ramo Químico, Farmacêutico e Material Plástico do Estado do Rio de Janeiro
FGTS-2013A Frente Parlamentar Mista em Defesa do Setor de Serviços promove duas reuniões nesta semana para discutir o projeto (PLP 200/12) que extingue a contribuição social de 10% sobre todo o saldo do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), devida pelos empregadores no caso de demissão sem justa causa.
Hoje, às 14 horas, o projeto será discutido com representantes da Câmara Brasileira de Serviços Terceirizáveis, no auditório da Confederação Nacional de Bens, Serviços e Turismo (CNC), em Brasília. Amanhã, às 9 horas, no Plenário 16, a frente ouvirá o consultor legislativo Marcos Pineschi sobre o assunto.
O coordenador da frente, deputado Laércio Oliveira (PR-SE), explica que essa contribuição de 10% foi criada pela Lei Complementar 110/01 para recompor as perdas do FGTS decorrentes de planos econômicos e deveria ter sido extinto há seis anos.
O PLP 200/12, de autoria do Senado, está pronto para votação em Plenário. A proposta chegou a ser colocada em votação no último dia 21 de maio, mas acabou não sendo votada após obstrução que levou à falta de quórum. Os líderes então decidiram adiar a votação para o próximo dia 3.

Íntegra da proposta:

Fonte: Agência Câmara Notícias

Os comentários estão encerrados.

Sindicalize-se
Falar pelo WhatsApp
Enviar via WhatsApp