Entidades e personalidades repudiam agressão sofrida por profissionais do Estadão

1º de maio das centrais une sindicalistas, políticos e artistas
Mercados internacionais têm manhã de alta em meio a alívio de medidas de isolamento no mundo

O jornal O Estado de S.Paulo publicou nesta segunda-feira (4) matéria repercutindo as lamentáveis agressões contra profissionais do Jornal no domingo (3) durante manifestação de bolsonaristas contra a Democracia, realizada em Brasília.

As agressões aos profissionais do Jornal durante manifestação com a presença do presidente da República, Jair Bolsonaro, no domingo, 3, ocorreram no Dia da liberdade de imprensa e receberam o repúdio de diversas autoridades. A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, afirmou que “quem transgride e ofende a liberdade de imprensa ofende a Constituição, a democracia e a cidadania brasileira”.Para ela, isso significa atuar de maneira inconstitucional. “É inaceitável, é inexplicável que ainda tenhamos cidadãos que não entenderam que o papel de um profissional da imprensa é o papel que garante, a cada um de nós, poder ser livre”, afirmou.

“É de se lamentar esses episódios. A agressão a cada jornalista é agressão à liberdade de expressão e à própria democracia e isso precisa ficar bem claro e ser repudiado”, disse o ministro Gilmar Mendes, do STF.

O ministro Alexandre de Moraes, também do Supremo, afirmou que agressões contra jornalistas “devem ser repudiadas pela covardia do ato e pelo ferimento à Democracia e ao Estado de Direito”.

O ministro Luiz Fux, do STF, também destacou a ameaça à democracia. “A dignidade da imprensa se exterioriza pela sua liberdade crítica, de investigação e de denúncia de atitudes anti-republicanas.”{cke_protected_1}

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que cabe às instituições democráticas impor a “ordem legal a esse grupo que confunde fazer política com tocar o terror”. “Ontem enfermeiras ameaçadas. Hoje jornalistas agredidos. Amanhã qualquer um que se opõe à visão de mundo deles”, disse.

O governador de São Paulo, João Doria, afirmou em seu Twitter que a justiça precisa punir os que agrediram profissionais da imprensa e também profissionais de saúde.

“Milicianos ideológicos agridem covardemente profissionais de saúde num dia. Agridem profissionais de imprensa no outro”, escreveu Doria na rede social.

Wilson Witzel, governador do Rio de Janeiro, criticou o presidente Jair Bolsonaro por não ter se manifestado em relação às agressões aos jornalistas do jornal O Estado de S. Paulo e declarou que o único plano de seu governo é “alimentar o caos”.

Para o presidente da Força Sindical, Miguel Torres, o “trabalho da imprensa precisa ser respeitado e exercido com total segurança e liberdade”.

Na nota, o sindicalista presta total solidariedade aos profissionais do Estadão e dos demais veículos que prestam imprescindíveis serviços de comunicação à população. Miguel considera ainda inaceitável a participação do presidente Jair Bolsonaro no ato. “Novamente Bolsonaro age também com inacreditável irresponsabilidade ao incentivar aglomerações contrárias às orientações médicas e científicas de combate ao coronavírus.”

Veja a seguir a íntegra da Nota:

Chega de ataques à Imprensa, aos Direitos e à Democracia

Repudiamos a agressão sofrida por profissionais do jornal O Estado de S.Paulo por parte de apoiadores de Bolsonaro presentes no ato insano, truculento e antidemocrático deste domingo, 3 de maio de 2020, em Brasília.

O trabalho da Imprensa precisa ser respeitado e exercido com total segurança e liberdade para noticiar a verdade dos fatos. Nossa total solidariedade aos profissionais do Estadão e dos demais veículos que prestam imprescindíveis serviços de comunicação à população.

Consideramos ainda inaceitável a participação do presidente Jair Bolsonaro no ato, repetindo assim sua atitude de apoio à manifestações que pregam o retorno ao autoritarismo.

Novamente Bolsonaro age também com inacreditável irresponsabilidade ao incentivar aglomerações contrárias às orientações médicas e científicas de combate ao coronavírus.

Até quando a sociedade brasileira continuará aceitando tamanho desgoverno, incompetência e agressões à democracia?

Bolsonaro! Você não é uma pessoa digna para continuar exercendo a presidência da República nem tem condições de governar o País e contribuir com medidas sérias e eficazes contra a atual crise. Renuncie, Já!

Miguel Torres
Presidente da Força Sindical

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

Fonte: https://radiopeaobrasil.com.br/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sindicalize-se
Falar pelo WhatsApp
Enviar via WhatsApp