Covid-19: vacinas devem chegar ao Rio nesta semana. Vacinação é prevista para começar este mês

Fim do auxílio emergencial pode levar até 3,4 milhões para extrema pobreza
Janeiro Branco alerta para importância de cuidados com a saúde mental

Segundo o secretário Municipal de Saúde cidade está pronta para iniciar a vacinação. Seringas e agulhas estão sendo distribuídas nas Unidades Básicas e Centros Municipais de Saúde

 O prefeito Eduardo Paes e o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, esperam que vacinas cheguem ainda nesta semana no Rio - Estefan Radovicz / Agencia O Dia

O prefeito Eduardo Paes e o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, esperam que vacinas cheguem ainda nesta semana no RioEstefan Radovicz / Agencia O Dia

POR ALINE CAVALCANTE
Rio – Daniel Soranz, secretário Municipal de Saúde do Rio, destacou que a prefeitura está pronta para iniciar a vacinação contra a covid-19, assim que o Ministério da Saúde divulgar o calendário nacional de imunização. A expectativa é de que entre os dia 20 e 25 de janeiro as primeiras doses da vacina comecem a ser aplicadas. Ele afirmou ainda que as unidades de saúde da cidade já estão recebendo seringas e agulhas para não atrasar a vacinação.
“O Ministério da Saúde assinou um acordo de compra com o Butantan de 46 milhões de doses e já foi solicitado o pedido de registro na Anvisa e também que a distribuição seja feita antes disso. Então, nossa expectativa é que ao longo da semana a gente receba a vacina ou que a cadeia de logística comece a ficar mais clara para nós”, garantiu o secretário na manhã deste domingo, na Central de Logística da Secretaria Municipal de Saúde, que fica na Taquara, Zona Oeste do Rio.
Na Central de Logística da Secretaria Municipal de Saúde já estão armazenadas as agulhas, seringas e todos os insumos que serão utilizados na vacinação, além da própria vacina.
“Todos os insumos serão armazenados aqui. A gente já começa a distribuir hoje seringas e agulhas para as Unidades Básicas e Centros Municipais de Saúde para que o Rio de Janeiro não tenha atraso e a cidade esteja pronta para começar a vacinação assim que o calendário do Ministério da Saúde for divulgado. Já vamos entregar 700 mil seringas e o Estado do Rio deve entregar pra gente 2,8 milhões de seringas. Temos uma câmara fria que vai armazenar toda a nossa vacina. Essa câmara fria tem entre 2° e 8°”, falou Soranz.
Apesar de Eduardo Paes ter anunciado, na última semana, a possibilidade de antecipar a vacinação, seguindo o estado de São Paulo, o prefeito voltou a afirmar que a cidade do Rio seguirá o Plano de Imunização Nacional.
“A gente tinha feito um acordo com o Butantan, mas não precisou manter o acordo porque o Governo Federal comprou todas vacinas e nós vamos fazer o que é mais normal e civilizado, que é seguir o Plano de Imunização Nacional”, esclareceu o prefeito.
De início, o objetivo é imunizar 2,6 milhões de pessoas nas primeiras quatro etapas do plano de vacinação, a partir do cronograma do Programa Nacional de Imunização do Ministério da Saúde. A estratégia envolverá 450 pontos de vacinação na cidade, a maioria nas Clínicas da Família e Centros Municipais de Saúde, com 10,5 mil profissionais envolvidos.
A tendência é a de que, na primeira fase, deverão ser imunizados trabalhadores da saúde, pessoas a partir de 60 anos, pessoas com comorbidades, professores, indígenas, quilombolas e profissionais das forças de segurança e salvamento e serviços essenciais, além de funcionários do sistema prisional.
Lockdown descartado
O prefeito Eduardo Paes garantiu que, ao menos por enquanto, está descartado o lockdonw na cidade do Rio. “Vamos manter conforme anunciei na sexta-feira, mas estamos analisando e na próxima semana deve sair novas diretrizes e decretos. Mas, não vamos fazer lockdown”.
Daniel Soranz disse que conta com a colaboração de todos e que ao longo da semana serão definidas as restrições necessárias para cada localidade.
“Não é intenção fechar o comércio. Vamos acompanhar o que vai acontecer ao longo desta semana. Vamos publicar uma resolução definindo critérios de restrição para cada locais da cidade. E também com a testagem a gente espera acompanhar de maneira mais inteligente a disseminação da covid-19 e determinar ações de bloqueio”.
Fonte: O Dia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sindicalize-se
Falar pelo WhatsApp
Enviar via WhatsApp