Contribuições previdenciárias devem incidir apenas sobre remuneração de trabalho, decide Justiça

Diretoria distribui Boletim sobre a parceria com a BelOdonto para trabalhadores da empresa Embelleze
SindiQuímica-NI visita trabalhadores nas fábricas semanalmente

O juiz federal Edgar Francisco Abadie Júnior, da 1.ª Vara Federal de Osasco (SP), determinou à União que deixe de exigir de uma rede de supermercados as contribuições previdenciárias patronais e as sociais sobre os valores referentes a salário-família, férias indenizadas, aviso prévio indenizado, e os quinze primeiros dias de afastamento antes da concessão de auxílio-doença, em razão de enfermidade ou acidente dos funcionários.

As informações foram divulgadas pela Justiça Federal em São Paulo – Processo: 5000801-84.2016.4.03.6130

A autora da ação solicitou judicialmente a suspensão, bem como a compensação dos créditos tributários referentes às contribuições sociais previdenciárias incidentes sobre tais verbas, alegando que os valores possuem natureza indenizatória ou de cunho social, não podendo ser enquadrado como salário ou rendimento de trabalho.

O juiz entendeu que as contribuições devem recair sobre verbas salariais de natureza remuneratória, quais sejam, aquelas ‘destinadas a retribuir o trabalho’, excluindo da incidência às rubricas trabalhistas pagas a título de indenização ou compensação, assim entendidas como os gastos especiais desembolsados pelo empregado em razão do trabalho ou a perda do poder aquisitivo relacionado direta ou indiretamente com o vínculo empregatício”.

Edgar Francisco Abadie Júnior determinou que, após o trânsito em julgado, a empresa está autorizada a fazer a compensação e/ou restituição tributária dos valores recolhidos nos últimos cinco anos anteriores ao ajuizamento da ação, corrigidos pela taxa Selic.

COM A PALAVRA, A AGU

A reportagem entrou em contato com a Advocacia Geral da União. O espaço está aberto para manifestação.

Fonte: Luiz Vassallo (Folha de São Paulo)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sindicalize-se
Falar pelo WhatsApp
Enviar via WhatsApp