Centrais avaliam ações e divulgam agenda em defesa da aposentadoria

Governo tem 3 semanas para aprovar Previdência na comissão
Câmara começa a votar a reforma da Previdência, com pontos ainda sem consenso

Dirigentes das Centrais Sindicais se reuniram nesta sexta (28), no Dieese, em SP, para avaliar a articulação parlamentar em Brasília e definir os próximos passos a fim de barrar a aprovação da PEC 6 – reforma da Previdência.

Eles avaliaram como positiva a atuação no Congresso ao longo da semana, quando se reuniram com deputados de vários partidos e correntes políticas. Os dirigentes entregaram ao relator da matéria, Samuel Moreira (PSDB-SP), o documento “Pontos críticos no substitutivo à PEC 6/2019” – elaborado pelo Dieese – que enumera os 15 piores itens da Emenda.

“O balanço feito pelas Centrais foi bom e valorizou as negociações conduzidas em Brasília”, afirma João Carlos Gonçalves (Juruna), secretário-geral da Força Sindical.

Abaixo-assinado – Wagner Gomes, secretário-geral da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil, adianta: “Vamos fortalecer em todos os Estados a coleta de assinaturas e entregar em agosto o abaixo-assinado em defesa da aposentadoria.” O documento será entregue aos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre.

Ação – Dia 12 de julho foi confirmado pelos dirigentes como o Dia Nacional de Mobilização em Defesa da Previdência. O sindicalismo se somará aos protestos já programados pelos estudantes, liderados pela UNE, para essa data. Dois temas: contra a reforma da Previdência e em defesa da Educação pública.

Os sindicalistas consideram o reforço da agenda em Brasília e a realização de um 12 de julho forte e nacional decisivos para barrar a PEC 6, que entra na fase de votação na Câmara.

Nota – Nota unitária das Centrais foi divulgada nesta sexta (28), contendo avaliação das articulações políticas e a agenda de lutas. Leia na íntegra aqui.

Agenda: 
12/7 – Apoiar, valorizar e participar do Ato Nacional dos estudantes durante o Congresso da UNE, em Brasília, pela valorização da Educação, incluindo a defesa da aposentadoria. No mesmo dia, a orientação é de que a classe trabalhadora se mobilize nos estados e nas cidades.
16/7 – Reunião das Centrais Sindicais, no Dieese.
8/8 – Prazo para a entrega dos abaixo-assinados na sede nacional de cada Central Sindical.
13/8 – Entrega do abaixo-assinado das Centrais no Congresso Nacional e apoio à luta dos professores, coordenada pela CNTE, no dia 13 de agosto.
14/8 – Apoiar e participar da Marcha das Margaridas, também em Brasília.
Fonte: Agência Sindical

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sindicalize-se
Falar pelo WhatsApp
Enviar via WhatsApp