Anvisa mantém suspensão da bebida Ades

TRT-RJ nega recurso da NET
Ministério estende a todos os auditores dever de fiscalizar trabalho infantil

A Vigilância Sanitária do Paraná emitiu um alerta nesta quinta-feira (14) orientando a não comercialização e consumo de um lote do produto Ades Maçã 1,5 litro distribuído no Estado. O motivo é a descoberta de uma alteração no conteúdo do produto que pode causar queimaduras ao consumidor. ReproduçãoContinua suspensa a fabricação de todos os lotes dos alimentos com soja da marca Ades de 1 litro e de 1,5 litro pela linha de produção onde foram envazadas as unidades contaminadas com soda cáustica. A decisão foi divulgada no dia último dia 2 pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que também manteve proibidos a distribuição, a comercialização e o consumo da bebida fabricada por essa linha.

 Segundo a Anvisa, a Vigilância Sanitária de Minas Gerais informou que ainda precisa que a Unilever, empresa responsável pela marca Ades, dê algumas informações adicionais sobre os procedimentos adotados na linha de produção. “Enquanto a agência não tiver informações sobre a segurança dos produtos, por precaução e para proteger a saúde da população brasileira, os mesmos continuarão suspensos”, divulgou a Anvisa em nota.

Dia 14 de março, a Unilever anunciou o recall de 96 unidades do lote de iniciais AGB da bebida Ades de 1,5 litro, sabor maçã, por falhas no processo de envazamento da bebida.

No dia 18 de março, a Anvisa suspendeu a fabricação, a distribuição, a comercialização e o consumo, em todo o território nacional, de lotes de todos os sabores da bebida fabricadas na linha de produção onde houve a falha, que fica em Pouso Alegre (MG). Entre os dias 18 e 20 de março, a Vigilância Sanitária de Minas Gerais fez inspeção que apontou que as embalagens foram envazadas com soda cáustica.

Em nota, a Unilever disse que as medidas corretivas solicitadas pela Secretaria Estadual de Saúde foram implementadas e que as informações adicionais mencionadas no comunicado publicado pela Anvisa foram esclarecidas.

Fonte: Agência Brasil

Os comentários estão encerrados.

Sindicalize-se
Falar pelo WhatsApp
Enviar via WhatsApp