Abiquim: demanda por produto químico cresce 7,2% em 2013

O Conselho Administrativo de Recursos Fiscais – Carf, isenta contribuição previdenciária a PLR
Sindicatos criticam MP que altera trabalho temporário

abiquimSÃO PAULO – De acordo com dados preliminares da Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim), a demanda nacional por produtos químicos cresceu 7,2% em 2013 em relação a 2012. Na mesma base de comparação, a produção de uso industrial elevou 1,67%, devido ao recuo de 10,3% acumulado entre agosto e outubro do ano passado, em decorrência do apagão de energia no Nordeste e da parada programada para manutenção no pólo petroquímico de Camaçari, na Bahia.

De janeiro a dezembro do ano passado, as exportações caíram 7,9%, enquanto o volume importado elevou 17,7%. No que se refere à capacidade instalada, a taxa média de ocupação de todo o ano passado ficou em 82%, um ponto acima da verificada em 2012. “Esses resultados evidenciam a elevada ociosidade no segmento, pois a maioria das empresas deveria estar operando acima de 87-90%”, destacou a Abiquim, em comunicado enviado à imprensa.

Em relação ao índice de vendas internas, o resultado obteve elevação de 0,56% em 2013. No acumulado de janeiro a dezembro, o índice de preços teve avanço nominal de 7,80%. Na comparação com a média de 2012, os preços médios de 2013 estão 11,45% maiores.

O índice de utilização da capacidade instalada fechou dezembro em 85% na média. Esse foi o melhor nível operacional de todo o ano passado, segundo a Abiquim. “Em razão da sazonalidade, típica do segmento nessa época do ano, o índice de vendas teve recuo de 0,89% em novembro e 9,71% em dezembro. Após dois meses consecutivos de deflação, o índice de preços registrou alta de 1,68% em dezembro”, destacou a associação.

Os comentários estão encerrados.

Sindicalize-se
Falar pelo WhatsApp
Enviar via WhatsApp